Essa quinquagésima (!!!) NITRONEWSLETTER demorou, graças aos trabalhos do Marca da Caveira, que está passando por mais uma reescrita violenta, para incorporar os muitos elementos das mais de duzentas e cinquenta mil palavras do Legião – Cenário de Campanha, que escrevi entre Dezembro e Janeiro de 2017, mas agora que estou quase na VERSÃO FINAL ULTIMATE da Parte 1 de 6 do Marca, que irá, muito provavelmente, ser disponibilizada como uma amostra grátis junto com o lançamento de LEGIÃO! E “vamo que vamo” ™ !


Outlander (2015-2016) 1ª e 2ª Temporadas | NITROSÉRIES #drama #fantasia #histórico

SINOPSE
A inglesa Claire Randall, enfermeira durante a Segunda Guerra Mundial, viaja com seu marido Frank à Escócia para uma reaproximação após anos separados pela guerra. Entretanto, Claire acaba que por meio de alguma magia voltando 200 anos no tempo e descobre-se sozinha no ano 1743 pouco após a chegada, durante os levantes jacobitas. Nesse ambiente, ela conhece o jovem guerreiro escocês Jamie Fraser e Jonathan Randall, antepassado de Frank e capitão inglês.

RESENHA

Excelente série baseada nos romances de Diana Galbadon. Gostei demais da história, desde o primeiro episódio. Os atores ficam cada vez melhores, a recriação de época é bem feita, e o estilão novelão-folhetim funciona muito bem para o formato de série.

Outlander carrega no romantismo e nas cenas tórridas de sexo do casal, mas ao mesmo tempo é repleto de aventuras, além da trama se mover a alta velocidade.

A série ainda tem o bônus passar muita informação sobre o fim da cultura escocesa dos highlanders e a famosa batalha de Culloden, quando a Inglaterra abafou a última rebelião da Escócia.

Bão dimais, recomendo!


The Ballad of Narayama (1958) – Keisuke Kinoshita | NITROFILMES #drama

SINOPSE

O filme se passa numa aldeia remota localizada na região das montanhas do Japão. Por conta da escassez de alimentos, o povoado cria uma política voluntária na qual parentes mais novos carregam seus familiares com mais de 70 anos de idade para o topo da montanha Narayama, onde são deixados para morrer. Orin (Kinuyo Tanaka) é uma senhora que está perto de se tornar septuagenária e começa a aceitar seu destino cruel.

Seu filho viúvo, Tatsuhei (Teiji Takahashi), não consegue suportar a ideia de perder a mãe. Seu neto egoísta está feliz em saber que Orin irá morrer. Ao redor deles, uma família de ladrões é tratada com severidade pela comunidade e um homem de 70 anos, expulso de casa pelo filho, precisa mendigar por um pouco de comida.
Uma obra-prima do cinema japonês, a “Balada de Narayama” é um filme-artefato, uma obra hermética, fechada e planejada em seus mínimos detalhes, e que lida com a antiga tradição das comunidades mais pobres do Japão Feudal de abandonar seus idosos para morrerem no alto das montanhas, a fim de poupar a comida das vilas para as gerações mais novas.

RESENHA

A “Balada de Narayama” impressiona em sua concepção. A lenda de Narayama é contada através da estrutura do teatro kabuki, com a trilha feita com um cantor, que serve de comentarista das cenas e com o belo som das cordas de um shamisen, uma espéce de alaúde japonês. Esse detalhe, junto com os cenários teatrais, prende o espectador dentro da vila, passando uma espécie de claustrofobia, que aumenta a crescente tensão do filme, o momento em que a idosa será levada para a montanha de Narayama para morrer.

O filme aborda temas como a inexorabilidade da morte, a dificuldade do desapego, a crueldade dos jovens para com os idosos, e a resignação perante ao fim da própria existência.

Recomendadíssimo!


Quando usar MEIO ou MEIA? | NITRODICAS

Quando “meio” for utilizado no sentido de “um pouco”, “mais ou menos”, ele é invariável, pois trata-se de um advérbio.

Exemplos:

Ela estava meio triste por causa da derrota do Brasil na Copa.

Os jogares estavam meio decepcionados com a saída de Neymar do campeonato.

A janela estava meio aberta.

Quando “meio” for utilizado no sentido de “metade”, ele varia de acordo com o termo ao qual se refere, pois trata-se de um número fracionário.

Exemplos:

Vamos almoçar meio-dia e meia.

Ela nadou meio quilômetro e depois correu meia légua.


QUE ou QUÊ? | NITRODICAS

GRAMÁTICA
Que ou quê? Conhecer as possíveis classes gramaticais em que essa palavra se encaixa é um bom caminho para não cometer mais erros.

Que não recebe acento:

→ Pronomes adjetivos e pronomes substantivos:

Não recebe acento quando estiver ocupando a função de pronome substantivo e pronome adjetivo.

Exemplos:

– pronome adjetivo: “Que horas são?”; “Que iniciativa bacana!”

– pronome substantivo: “Que eles fizeram com você?”; “Que aconteceu por aqui hoje?”

→ Advérbio

Não recebe acento quando está acompanhado de adjetivo ou advérbio.

Exemplos:

“Que tarde!”

“Que bonitos estes quadros.”

Partícula expletiva

*Partícula expletiva é aquela que tem função de dar destaque a alguma ação da frase; caso a partícula seja retirada, nada será alterado no sentido.

Nos casos em que a palavra que exerce a função de dar realce, ela não deve ser acentuada.
Exemplo:

“Quase que não chego para o casamento.”

→ Preposição

Não recebe acento quando liga dois verbos de uma locução verbal que tem como auxiliar o verbo ter.

Exemplo:

“Tenho que chegar cedo no dia do Enem.”

→ Conjunção Coordenativa  Não recebe acento quando liga oração

Não recebe acento quando liga orações sintaticamente independentes.

Exemplos:

“Os galhos balançam que balançam.”

“Volte cedo que pode ficar perigoso depois do jogo.”

Que recebe acento:

Final de frase ←

O vocábulo recebe acento quando estiver imediatamente antes de um ponto de interrogação, final ou de exclamação.

Exemplos:

“Ela precisa de você hoje para quê?”

“Você disse o quê?”

“Estão falando nem sei do quê.”

→ Substantivo

O vocábulo recebe acento quando estiver ocupando função de nome na oração.

Exemplos:

“Tem um quê de mistério este livro.”

“Encontrei 15 quês em seu primeiro parágrafo. Reveja o uso adequado.”

→ Interjeição

O vocábulo recebe acento quando indica sentimento ou espanto.

Exemplos:

“Quê? Ela veio?”

“Quê! Você conseguiu?”


Por que, por quê, porque, porquê | NITRODICAS

Estas quatro formas existem na língua portuguesa e estão corretas. Contudo, devem ser utilizadas em situações diferentes.

Porque

Porque (junto e sem acento) é utilizado em respostas e significa: pois, uma vez que, visto que, dado que, por causa de, pelo motivo de,… É uma conjunção subordinativa causal ou explicativa que une duas orações.

Exemplos com porque

  • Eu não fui trabalhar porque perdi o ônibus.
  • Eu vou ao supermercado porque fiquei sem manteiga.
  • Comprei este produto porque era o mais barato.

Substituição de porque

  • Fiquei feliz porque tirei uma boa nota.
  • Fiquei feliz dado que tirei uma boa nota.

Por que

Por que (separado e sem acento) se utiliza no meio das frases e em PERGUNTAS! Pode ser a junção da preposição por com o pronome relativo que ou com o pronome interrogativo que, assumindo assim dois empregos diferentes.

Sendo pronome interrogativo significa: por qual motivo, por qual razão. Sendo pronome relativo significa: por qual ou pelo qual.

Exemplos com por que (pronome interrogativo)

  • Eu gostaria de saber por que razão eu não fui escolhida para o trabalho.
  • Por que não veio falar comigo?

Substituição de por que (pronome interrogativo)

  • Por que você fez isso?
  • Por qual razão você fez isso?

Exemplos com por que (pronome relativo)

  • As razões por que tive aquela atitude não lhe dizem respeito.
  • Eu já morei na rua por que estamos passando.

Substituição de por que (pronome relativo)

  • O motivo por que fui embora permanecerá comigo.
  • O motivo pelo qual fui embora permanecerá comigo.

Por quê

Por quê (separado e com acento) é utilizado apenas final da oração, seguido de um sinal de pontuação. É a junção da preposição por com o pronome interrogativo tônico quê. Significa por qual motivo, por qual razão. O pronome quê também é tônico e acentuado nas expressões de quê e para quê.

Exemplos com por quê

  • Você já saiu da escola? Por quê?
  • Ela está sempre mentindo e eu não sei por quê.
  • Aquele funcionário faltou ao trabalho e nem disse por quê.

Substituição de por quê

  • Eu apenas gostaria de saber por quê.
  • Eu apenas gostaria de saber por qual razão.

Porquê

Porquê (junto e com acento) é um substantivo masculino, sinônimo de motivo, razão, causa. Quase sempre vem acompanhado do artigo definido o: o porquê. Pode também vir acompanhado de um artigo indefinido, numeral, pronome demonstrativo ou possessivo.

Exemplos com porquê

  • Gostaria de saber o porquê de sua mudança de opinião.
  • Dê-me um porquê para eu não me ir embora agora.
  • Existem dois porquês que justificam seu comportamento.

Substituição de porquê

  • Ninguém me disse o porquê dessa decisão.
  • Ninguém me disse o motivo dessa decisão.

Érika & Newton – Inglês por Skype

Faça uma AULA EXPERIMENTAL GRATUITA!
Aulas TODOS OS DIAS, de 7 às 23 horas!

Visite o nosso Blog Melhore Seu Inglês:
https://melhoreseuingles.wordpress.com/

Curta Nossa página no Facebook:
https://goo.gl/qcPQUK

Nosso Canal no Youtube – Melhore Seu Inglês:
https://goo.gl/KYns5i


CONTATO

Newton Rocha | Professor de Inglês – Aulas por Skype
WhatsApp: 9143-7388 | Skype: prof.newtonrocha@gmail.com
LinkedIin: https://goo.gl/7rajxF


Érika de Pádua | Professora de Inglês – Aulas por Skype
WhatsApp: (31) 9223-5540 | Skype: erikadepadua@gmail.com
Linkedin: https://goo.gl/2c6QIb


erika-e-newton-ingles-por-skype
FACEBOOK

https://www.facebook.com/erikaenewton/

Anúncios