Um filme utradark, piradaço, experimental e o mais medieval sujão pós-apocalíptico que já vi na vida. HARD TO BE A GOD, baseado em um romance de ficção científica russo dos anos 60, tem a narrativa onírica de um David Lynch misturada com cenas viscerais, escatológicas e um cenário utra-brutal, e sujão.

Com uma fotografia fantástica em preto e branco, que ressalta a sujeira e o realismo do filme, HARD TO BE GOD apresenta uma procissão espetacular de um imaginário medieval grotesco. Por quase três horas, os seus personagens guerreira, cospem, destroçam, urinam, fazem caretas, em montanhas de cadáveres, excrementos e podridão em sequências visuais hipnóticas. É impressionante, me senti em uma outra realidade.

RECOMENDADO PARA:
Quem curte filmes piradaços, meio oníricos, que o foco é mais na experiência e na “viagem” do que em trama.
Quem curte filmes russos de explodir cabeça, como os to Andrei Tarkovisky.
Quem curte cenários medievais ultra sujões, e cenas brutais.
Quem tem nervos e estômagos fortes.

NITROFILMES: HARD DO BE GOD (Rússia, 2014, Dir. Aleksey German) | Horrores Medievais do Espaço!
Nota 7.5 em 10 – Desafiador, para os fortes!
SINOPSE
Um grupo de cientistas é enviado para o planeta Arkanar para ajudar a civilização local, que está na fase de medieval de sua própria história, encontrar o caminho certo para o progresso. Sua tarefa é difícil: eles não podem interferir violentamente e em nenhum caso algum pode matar. O cientista Rumata tenta salvar os intelectuais locais de sua punição e não pode evitar tomar uma posição. Ele se pergunta, o que você faria no lugar de Deus?

TRAILER

hard-to-be-a-god

Anúncios