Relendo Berserk! Vol.1 a 3 – Os primeiros passos de uma jornada de vingança! #resenha #nitroblog

Eu adoro Berserk, desde que assisti o anime nos meados dos anos 90, graças a um clube de importação e trocas de animes que tínhamos aqui em BH. Depois de endoidar o cabeção com o anime, corri atrás dos mangás, e desde então, periodicamente, eu releio a obra prima do sensei Kentaro Miura.

berserk1

Agora, com o meu Nitroblog, resolvi reler novamente o Berserk e postar minhas impressões a cada arco narrativo, visando entender como escritor a estrutura da história e o modo como ele constrói o mundo e os personagens. Essas resenhas irão conter muitos “spoilers”, assim recomendo apenas para aqueles que já leram o mangá.

Para quem não conhece ainda, Berserk (ベルセルク Beruseruku) é uma série de mangá (doidimais!) escrita e ilustrada por Kentaro Miura. A saga se passa em um mundo de fantasia medieval de inspiração européia. A narrativa se centra nos personagens Guts, um mercenário órfão e em Griffith, o líder de um bando de mercenários conhecido como o Bando do Falcão(鷹の団 Taka no Dan). A série é ultraviolenta e muito sombria(e foi o meu primeiro contato com a fantasia brutal e sombria – grimdark fantasy), e lida com temas como isolamento, camaradagem, traição, moralidade e amoralidade, o poder do desejo e da corrupção, vingança e redenção.

1000px-The_Black_Swordsman

Miura lançou o protótipo de Berserk em 1988 (que pode ser lido online nesse link e o primeiro volume foi publicado em 26¨de Novembro de 1990, na Jets Comics collection (Hakusensha). Depois de três volumes, Berserk passou para a publicação Young Animal. A série foi adaptada em um anime de 25 episódios (de Outubro 1997 a Março de 1998). E nos últimos anos, o mangá foi adaptado em uma série de filmes chamados The Golden Age Arc I a III, focando na fase do Bando do Falcão.

Berserk foi uma explosão na minha vida, abriu a minha cabeça para as enormes possibilidades temáticas da fantasia medieval. E foi graças a Berserk que conheci a Companhia Negra do Glen Cook, a obra seminal da fantasia brutal que inspirou o mestre Kentaro Miura a criar o universo de Berserk. E Glen Cook me abriu o caminho para outros autores de fantasia brutal, como George R. R. Martin, Stephen Donaldson, C.S. Friedman, etc., nos anos noventa, bem antes desse gênero entrar em voga. Gratidão de nerd! :)

Depois de ler os três primeiros volumes de Berserk, fiz algumas anotações durante a leitura dos seguintes episódios dos Volumes 1 a 3 do mangá:

“The Black Swordsman” (黒い剣士 “Kuroi Kenshi”)
“The Brand” (烙印 “Rakuin)
“The Guardians of Desire” (欲望の守護天使(1) “Yokubō no Shugotenshi (1 a 6))

Espero que gostem! (para quem não quer spoiler, as anotações começam depois da imagem das capas!)




Volume_1 Volume_2 Volume_3
PRIMEIRAS CENAS COM GUTS

Guts mostra , em suas primeiras cenas no mangá, que segue a filosofia do mais forte. Ele enfrenta o apóstolo do castelo Koga sem nenhuma preocupação com a população da cidade. Puk é alivio cômico e serve inicialmente como consciência de Guts.

O personagem Guts ainda vai se desenvolver muito, mas já de cara mostra que tem um fantasma do passado, um desejo (matar apóstolos e destruir a God Hand, se vingando do que aconteceu com ele, Casca e a traição do seu melhor amigo) e uma necessidade, de resolver a culpa que ele carrega.

O ódio que ele sente pelos apóstolos parece ser igual ao que ele sente pelos fracos, e são projeções de sua própria fraqueza. Guts sofre com a sua impotência no passado em relação as tragédias que aconteceram em sua vida.

Depois do confronto com o segundo apóstolo da série (o primeiro é a mulher demônio do prólogo), Guts encontra um velho padre e sua filha.

Essas cenas iniciam o primeiro arco emocional de Guts, começando a mostrar que por detrás da fachada egoísta, ele ainda tem fragmentos de humanidade dentro de si. Isso parece indicar que a jornada de Guts, ou uma parte dessa jornada, é recuperar esses fragmentos de humanidade que ainda existem em sua alma.

Ao mesmo tempo, mostrando um conflito interno, seu desejo de vingança aumenta ao mesmo tempo que ele recupera sua humanidade, ou seja, quanto mais ele se aproxima da luz (sua humanidade), mais forte fica sua sombra (o desejo de vingança que é representado pela armadura do berserker, que aparecerá mais na frente da história).

A CULPA DE GUTS

O segundo monstro do volume 1 é um incubus, uma criatura com tentáculos e um olho que se alimenta de pesadelos e medos. Essa é uma maneira excelente de mostrar a vida interior de um personagem sem forçar um flashback, pois as visões são causadas pelo ataque do monstro, sem parar a narrativa.

Nessas visões, Guts se vê perseguido por um feto deformado, como se fosse a encarnação de sua sombra, do lado reprimido de seu inconsciente. Tirando toda a mitologia da saga, o feto deformado poderia ser a verdadeira face de Guts, depois dos eventos traumáticos (que serão narrados mais frente), o que sobrou de sua humanidade. Ele fugiria desse feto pelo medo de retomar seu lado humano junto com a culpa que carrega de ter sido responsável pelo fim traumático de sua companhia de mercenários e da única mulher que amou.

Na segunda história do vol.1 Guts enfrenta mortos vivos, um inimigo comum de narrativas de fantasia (o retorno do passado, o que nunca-morre, a encarnação das lembranças), mas Kentaro Miura deixa a história interessante matando tanto o velho que ajudou Guts quanto sua filha, mostrando a natureza brutal do mundo de Berserk.

É como se o autor dissesse que não estamos em uma narrativa tradicional heróica, Guts luta mas não consegue salvar ninguém além de si mesmo. E nem mesmo ele se sente salvo, pois os mortos-vivos foram atraídos pela marca que carrega no pescoço.

No final da história Guts afirma que não sente culpa pela morte do velho e da garota, pois afirma que quem não tem força suficiente para sobreviver merece estar morto. Porém modo que ele fala isso, e até o fato dele afirmar isso (como se quisesse acreditar, ele repete para tentar sempre se convencer) mostra seu conflito interior. No fundo ele não acredita nisso, é uma forma de negação, a fonte de seu ódio infinito.

O APÓSTOLO COUNT COMO UM ESPELHO DE GUTS

Na última história desse primeiro arco, “Os Guardiões do Desejo”, Guts enfrenta um apóstolo que alude ao período da inquisição espanhola da era medieval. Ele se relaciona com Vargas, um antigo médico totalmente deformado por causa de torturas, e vemos pela primeira vez uma Behelit.

As Behelits, são ovos estranhos com uma face humana desfigurada, e são as chaves para abrir o portal entre o mundo humano e o fundo do Abismo, onde a God Hand reside. Os Apóstolos são criados através das Behelits, que abrem o portal quando o desejo de quem possui uma Behelit é forte o suficiente, um desejo de escapar a situação que se encontra.

O interessante é que Guts, apesar de possuir uma Behelit Vermelha (que serve para criar um membro da God Hand) ele não a usa. Porém, através de sua fúria e força de vontade, ele vai progressivamente se transformando em uma criatura semelhante aos Apóstolos (e até mesmo mais poderosa). Guts não necessita de uma Behelit para isso, o seu ódio interior serve de portal para sua transformação.

Cada apóstolo segue um tema, normalmente ligado a um animal. No caso do apóstolo dos Guardiões do Desejo, o animal é uma espécie de lesma, com um poder peculiar, ele pode enviar suas crias para dentro dos corpos de humanos transformando-os em monstros. Esse tema da transformação em monstro é o que unifica toda a saga.

item127199.2

Na luta contra o Apóstolo Count, apesar do que Guts fala para o elfo Puck que o acompanha, ele acaba empatizando com Vargas, que teve seu corpo mutilado pelo Count assim como Guts teve seu corpo mutilado. Esse é um dos segredos do carisma de Guts nesse primeiro arco; ele não é realmente o que diz ser, algo dentro dele ainda se preocupa e sente compaixão pelo sofrimento alheio (mesmo que só apareça de vez em quando).

Mesmo assim, Guts recusa a salvar Vargas, mas depois se encontra com as almas vingativas das vítimas do Count, que refletem seu próprio desejo de vingança contra os Apóstolos e a God Hand.

O Apóstolo Count, como Guts, também tem um lado humano escondido, mas ao invés de ser um feto deformado, o Count possui uma filha.

Assim como Guts, o Count se transformou em um monstro por vingança pela morte de sua esposa na mão de heréticos. A grande diferença é que os Apóstolos tem toda sua humanidade completamente consumida.

O Count, com todo seu poder sobre a cidade não consegue fazer com que sua filha aceite que ele a toque. Sua filha representa a única parte sobrevivente de sua humanidade.

Guts vence o Count usando sua filha Theresia de refém, ou seja, usando o resto de humanidade do Count contra ele. Em seguida, Guts mostra sua loucura torturando o Apóstolo com tanta crueldade que a dor que o Count sente força o despertar da Behelit que eles encontraram na cidade.

A GOD HAND, OS GUARDIÕES DO DESEJO

E acontece o primeiro aparecimento da God Hand na série, os Guardiões do Desejo do título do arco. A God Hand aparece e revela o segredo da transformação do Count: ele sacrificou sua esposa (que estava envolvida em rituais pagãos, enquanto ele era caçador de heréticos)para transcender a humanidade e se tornar um Apóstolo.

Porém,agonizante, o Count revela que não transcendeu completamente sua própria humanidade ao resistir o pedido da God Hand, que em troca de sua salvação, exige o sacrifício de sua filha.

Essa cena faz alusão ao passado de Gutz e mostra o foco de sua jornada de vingança: Guts é marcado para ser sacrificado, assim como Theresia.

O foco principal da vingança de Guts é revelado nessa cena: que quer destruir Femnto, o responsável pela marca em seu pescoço e por todas as desgraças que aconteceram em sua vida.

Como toda jornada de vingança, o que é exposto é apenas parte da verdade do personagem. Guts parece ter mais raiva de ter se deixado apaixonar/gostar de Griffith, de considerá-lo como um amigo (ou algo até maior do que isso), ou seja, sua raiva parece ser mais contra si mesmo do que contra Griffith/Femnto e o que ele fez com Casca (apesar disso também compor a tempestade de ódio que Guts carrega dentro de si).

O que parece mover Guts, mais do que seu desejo de vingança é a tentativa de superar a culpa que carrega pela morte do Bando do Falcão, a tragédia que aconteceu com Casca e a transformação de Griffith em Femnto, como se achasse que se fosse forte o suficiente, ele poderia ter evitado todas as tragédias que aconteceram.

God_Hand_Manga
A God Hand, como veremos depois, é um grupo de Arqui-demônios, ou praticamente deuses, que criam Apóstolos e parecem controlar a invasão de sua dimensão infernal na terra principal do cenário de Berserk. Dois membros da Godhand tem seu design claramente inspirado em H.R. Guiger! :)

giger_f giger-landscape-xxix-medium landscape_xviii

Slan (スラン Suran) é a única fêmea da God Hand, e seu comportamente a parece ligar com a libido, com o sexto e perversões sexuais.

Void (ボイド Boido) é o filósofo da God Hand.

Femto é o alter-ego sádico e cruel de Grifith’s e futuro transformador do mundo, unindo o plano astral (o plano demoníaco) com o plano material.

Ubik (ユービック Yūbikku) é o que tenta convencer o Count a sacrificar sua filha. Ele é o God Hand mais preocupado com a finalidade e o destino.

Conrad (コンラッド Konraddo) é o membro da God Hand que lida com a corrupção e com os pactos. Ele é o Enganador, o que faz o contato com futuros Adeptos.

CONCLUSÃO

Esse primeiro arco de histórias termina em um “gancho”, com a decisão do Count em suspenso, enquanto Guts agoniza no chão da dimensão da God Hand. Uma técnica narrativa muito boa, que mantém as perguntas na mente do leitor, criando pressão narrativa (a vontade de ler para ver o que acontece), enquanto voltamos ao passado com o próximo arco de histórias.

Bem, essas são as minhas impressões desse primeiro arco de histórias. Espero que tenham gostado. Há medida que for lendo os outros arcos, vou postando alguma coisa aqui no Nitroblog.

Frases Interessantes desse Arco:

Guts:
“Ambição vem sempre com um preço, é claro que o preço é muito alto se você morre por nada. A recompensa de uma ambição sem limites é a auto-destruição.”

6 comentários em “Relendo Berserk! Vol.1 a 3 – Os primeiros passos de uma jornada de vingança! #resenha #nitroblog

  1. Assisti um dos filmes, uma vez, e achei simplesmente incrível. Não me recordo de ter aquele braço mecânico O_o
    Existe a saga completa publicada aqui pelo Brasil?

  2. Ótima Resenha, Tio Nitro!!! Eu acompanho a série a pelo menos uns 14 anos, a considero um marco no mundo dos animes/mangás, pois admiro o trabalho de Miura Sensei, ao utilizar elementos que antes eram tão poucos explorados. Lembro que eu mesmo, assistia os VHS com o meu pai, que nunca foi fã de animes, mas que achava sensacional a história. Berserk, juntamente com Gantz, foram divisores de água pra mim. por tratarem de temática adulta…e por terem personagens tão Fodásticos, pois quem nunca criou um clone do Guts nas aventuras de RPG.

  3. Enfim as resenhar de Berserk, um mangá que simplesmente é foda demais (e que espero que o autor consiga terminar decentemente, diferente da decepção que foi o final de Gantz). Berserk tem um anti-herói que vai a cada momento revelando mais nuances incríveis sobre sua personalidade mesmo sendo um tipo fechado e que vive apenas pela espada, em um mundo cruel e brutal (mesmo sem a interferência da God Hand e apóstolos, mas que são capazes de intensificar tudo isso). Aguardo mais resenhas de Berserk, tanto o lendário arco do passado do Guts e do Bando do Falcão quanto os arcos posteriores.

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s