The Conquering Sword of Conan (Complete Robert E. Howard Vol.3) – O Oeste Selvagem Hiboriano! #resenha

E infelizmente chego ao fim de todos os textos originais do Conan, escritos pelo Robert E. Howard. Eu já estou familiarizado com a melancolia que sinto ao terminar um livro ou uma série de livros que me envolveram em sua leitura, mas dessa vez é maior, pois sinto uma grande pena por termos perdido Howard muito cedo, no momento em que sua escrita amadurecia e mostrava um potencial literário fantástico. Nesse terceiro volume estão duas das melhores histórias de Conan, “Beyond the Black River” e a famosa “Red Nails”. Além dessas histórias, a edição traz a famosa “Man-Eaters of Zamboula” (que foi adaptada para os quadrinhos com Neal Adams fazendo a arte) e duas versões de um rascunho da impressionante “Wolves Beyond the Border”, uma história meio western (faroeste) das fronteiras da Aquilônia com os territórios selvagens dos Pictos, durante o começo do reinado de Conan.

Conquering Sword of Conan
Conquering Sword of Conan

Os artigos do editor Patrice Louniet, que introduzem e encerram os volumes (que são belíssimamente ilustrados por Gregory Manchess), descrevem o processo criativo de Howard, mostrando a evolução dos temas e das estruturas das histórias de Conan. No final de sua vida, Howard se dedicava muito tempo a ler e estudar a história do oeste americano (ele era do Texas) e, pelas cartas que enviava para H.P. Lovecraft, estava mais interessado em se dedicar a escrever narrativas dentro desse período histórico. Isso se reflete nas últimas histórias de Conan, principalmente a fantástica “Beyond the Black River”, onde Howard se supera em termos de caracterização de seus personagens e complexidade narrativa.

“Red Nails” é outra obra-prima de Howard, um conto que cresce a cada nova leitura, cheio de referências bibliográficas e uma espécie de palavra final no eterno tema de Howard da civilização versus barbarismo. Em Red Nails, vemos uma civilização sendo destruída não pelos bárbaros, como frequentemente acontecia em outras histórias de Howard. Nesse conto é a própria civilização, isolada da natureza e de suas raízes, que se auto-destrói pela sua própria estagnação e artificialidade.

Beyond the Black River - John Buscema
Beyond the Black River – John Buscema

No final dessa jornada pelos textos de um dos maiores mestres da fantasia contemporânea, saio com a impressão de que, o grande segredo de Howard era sua paixão pelos temas que escrevia e pelos seus personagens. Uma paixão e energia que é palpável nos escritos, que é visível pelos adjetivos que polvilham a narrativa, pela emoção visceral das fantásticas cenas de ação.

Red Nails - Barry Windsor-Smith
Red Nails – Barry Windsor-Smith

Fica a recomendação, é uma leitura obrigatória para fãs do gênero. E fica a torcida para uma edição brasileira tão bem cuidada e trabalhada quanto esses três volumes da Del Rey (e que inclua os textos iluminadores do editor Patrice Louniet).

E vamos agora para os volumes dois e três da saga Mongoliad, de Neal Stephenson, Greg Bear e outros. Do barbarismo hiboriano para a invasão Mongol da Europa do século XIII !

Anúncios

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s