NitroDicas 10:Estruturando sua História em 3 Atos-Elementos da Trama 2 #dicasparaescritores

Nesse NitroDicas continuo a falar sobre os elementos da trama, tratando agora de como estruturar a sua história em 3 atos.

Elementos da Trama 2: Estruturando Sua História em 3 Atos

Um romance deve ser simples o suficiente para explicar em uma frase, mas complexo o suficiente para encher centenas de páginas e engajar seu leitor por horas.

Porque dividir em Três Atos:
1) Ajuda a manter os principais pontos da sua história na cabeça em um fluxo coerente.

2) Permite a você comunicar esses pontos da sua história para seu editor, vendedor, etc.

Uma história pode ser dividida em quantos atos forem necessários. Os Três Atos é a estrutura mais usada atualmente, e mais fácil de dominar. Uma vez dominado a estrutura dos três atos, fica mais fácil variar o número de atos.

Os atos são usados para escalar a emoção da história, aumentando até chegar ao clímax.

nitrodicas 3 atos

O QUE SÃO OS TRÊS ATOS
Tudo começou com Aristóteles, em sua Poética, que definia que uma história tem um Começo, Meio e um Fim. Os três Atos correspondem a essas três partes. Ato 1 é o Começo, Ato 2 é o meio, e Ato 3 é o fim.

A estrutura de três atos mais usada atualmente é a dos Três Desastres. Se um Ato é uma grande parte de uma história, o Desastre são os pontos que conectam os atos.

Ato 1 – Corresponde a 1/4 da história e termina no Primeiro Desastre.

Ato 2 – Corresponde a 2/4 de uma história, o ato 2 tem duas partes. No meio do Ato 2 temos o Segundo Desastre, e no final do Ato 2 temos o Terceiro Desastre.

Ato 3 – Corresponde aos últimos 1/4 da história e inclui um clímax ou resolução, que responde a Pergunta da História, ou seja, se o seu protagonista vai ser bem sucedido ou não e como será o seu sucesso ou seu fracasso. Tudo que vem depois é apenas para resolver as pontas soltas da narrativa.

A TENSÃO NOS 3 ATOS
A tensão aumenta no Ato 1, que termina em desastre que engaja totalmente o personagem na história. A tensão aumenta até o meio do Ato 2 onde acontece um segundo desastre, muito pior do que o primeiro. Depois de uma recuperação breve, a tensão aumenta mais ainda até o final do Ato 2, onde um terceiro e pior desastre acontece. Isso força o personagem a descobrir uma maneira de resolver a história no Ato 3.

star-wars-cartoon-art-by-patrick-schoenmaker-01

Star Wars
Ato 1
Introduz os personagens e termina com a morte dos tios do Luke. Depois desse Primeiro Desastre, Luke não pode mais recuar.

Ato 2
O Segundo Desastre é quando Vader mata Obi Wan. Isso é um trauma para Luke, que tem que se recuperar. Luke e Leia decidem continuar a batalha, enquanto Han Solo quer apenas pegar a recompensa e pagar Jaba. O grupo pode se separar.

No final do Ato 2 temos o Terceiro Desastre, que é a descoberta pelos rebeldes que a Estrela da Morte vai destruir a base rebelde. Isso força todos os envolvidos na história a buscar uma solução. Os rebeldes devem fugir, ou lutar contra a Estrela da Morte usando a informação de R2D2?

Obs: O 3º Desastre não precisa ser um desastre em si, pode ser a ameaça de um desastre, tem que ser algo que força o confronto final entre as forças antagonistas da história. Isso funciona para qualquer tipo de gênero mais narrativo, adaptado para a situação.

O Ato 3 é o conflito final entre os rebeldes e o Império, e o que acontece depois do clímax da história (a festa dos rebeldes no final).

GRÁFICOS DOS TRÊS ATOS

3ActAnd4PartStructures1 filmpara-7765081 ThreeActStructureFlat
SOBRE FINAIS DE HISTÓRIA
Um final pode ser feliz “sim”, infeliz “não” ou amargo e doce ao mesmo tempo.

O final amargo-doce é quando a história termina com um “sim, mas” ou com um “não, mas”.

O final de uma história falha se:
* Você fracassa em responder a Pergunta da História de maneira satisfatória.
* Ou você responde a pergunta da história de maneira forçada, ou que pareça falsa pelos valores dos personagens, ou pela narrativa.
* Você responde a pergunta da história de uma forma que viola as regras do seu mundo narrativo. Esse é o Deus Ex Machina (final deus da máquina), nomeado por causa dos hábitos irritantes de autores de tragédias gregas de resolver suas histórias baixando um Deus grego por meio de uma máquina, no palco para resolver a história. O final de Medea, quando os Deuses aparecem salvam Medea de ser punida por ter matado seus filhos por ciúme, é o exemplo que foi criticado por Aristóteles.

Em Guerra nas Estrelas, a pergunta da narrativa é “Luke e seus amigos poderão derrotar o Império destruindo a Estrela da Morte?”. Essa pergunta fica bem clara no final do Ato 1, mostrando uma boa estrutura de história.

Os três desastres servirão de moldura para sua história, e focarão sua escrita. Eles podem e devem ser mudados durante a escrita, dependendo do tipo de escritor que você é, Planejador, Improvisador ou Híbrido.

Nitroblog: http://tionitroblog.wordpress.com

5 comentários em “NitroDicas 10:Estruturando sua História em 3 Atos-Elementos da Trama 2 #dicasparaescritores

  1. ÓTIMO VIDEO. Muito bom mesmo. Só o áudio que fico um pouco baixo, mas o conteúdo foi muito bom =))

  2. Aí Nitro, tenho uma dica/pedido para você: Você pode ler o livro “The Authentic Swing: Notes from the Writing of a First Novel” do Steven Pressfield e fazer a resenha? Gostaria que você falasse sobre esse autor também, pois ele escreve livros ficcionais e não ficcionais quase todos envolvendo guerras, estretégias e militarismo. O último, acho, é “Gates of Fire: An Epic Novel of the Battle of Thermopylae”, que deve te interessar também.

    Abraço e parabéns pelo vídeo e matéria, aprendi muito com essas informações, obrigado.

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s