Em 2008 eu defendi minha tese de mestrado na Faculdade de Letras da UFMG, no curso de pós-graduação de Literaturas de Língua Inglesa. A tese é em inglês e deixo aqui para quem se interessar. :)

Prometheus Art

RESUMO DA TESE

Creator and Creature in
William Gibson’s Neuromancer:
The Promethean Motif in Science Fiction

O mito de Prometeus poderia se encaixar na categoria do monomito de Joseph Campbell devido à sua extensiva influência nas narrativas ocidentais. O roubo do fogo, a rebeldia de Prometeus frente aos outros deuses, a punição causada pelo conhecimento proibido tem influenciado a nossa imaginação cultural desde os tempos clássicos até os dias de hoje.

O mito de Prometeus tem sido reciclado em muitas obras literárias, mas é especialmente na Ficção Científica que ele possui uma importância crucial. A Ficção Científica, desde os seus primórdios, tem usado o mito de Prometeus para descrever a relação ambígua do homem com o conhecimento e com a tecnologia.

Desde de Frankentein de Mary Shelley até os replicantes de Blade Runner o mito de Prometeus tem sido usado como uma metáfora para a desconfortável interface entre os homens e seus artefatos, ou entre criador e criatura. Mas tal narrativa é extremamente mutante. Em algumas, há o roubo do conhecimento proibido, mas não há punição. Em outras, há punição, mas nenhum conhecimento.

Mesmo assim, o mito de Prometeus, mudado ou não, perdura através dos tempos. Prometeus poderia até ser interpretado como um “deus hacker”, pois segue o lema dos piratas digitais que diz “a informação deve ser livre”. Isto liga o mito aos personagens “hackers” que estão presentes na literatura Cyberpunks, um dos mais recentes desenvolvimentos da Ficção Científica da década de oitenta.

Esta tese pretende mostrar como o mito de Prometeus é recontado no imaginário Cyberpunk, especialmente no Neuromancer de William Gibson. Isto pode ajudar a responder a pergunta que tem sido o enigma para estudiosos do mito e críticos literários desde o século dezenove: como o mito pode existir e influenciar a nossa imaginação contemporânea nesta era científica e tecnológica.

Primeiro, muitas teorias críticas do mito serão estudadas, seguindo a idéia de que todas elas apresentam uma explicação parcial de sua persistência em nossa era moderna. Mesmo seguindo uma cética tradição racionalista (como os Racionalistas Gregos, os Iluministas, Descartes, etc.) ou a idealista tradição romântica ( como Jean Baptista Vico, Frazer, Jung, Eliade, etc), a crítica do mito tem negado ou superestimado suas qualidades aparentemente eternas. Depois, será usada a abordagem de Hans Blumenberg para apresentar uma definição alternativa de mito, este sendo uma resposta da humanidade ao absolutismo da realidade.

Dentro dessa abordagem, o mito de Prometeus será pesquisado e sua influência na Ficção Científica será descrita. Finalmente, se seguirá uma análise profunda dos aspectos prometeicos de Neuromancer.

DOWNLOAD

Creator and Creature in William Gibson’s Neuromancer: The Promethean Motif in Science Fiction (PDF)

Anúncios