Magic Kingdom - Banda de Symphonic Metal (Metal RPG) muito doidmais! Recomendo para fãs de Rahpsody!
Magic Kingdom – Banda de Symphonic Metal (Metal RPG) muito doidmais! Recomendo para fãs de Rahpsody!

 

Decidi começar uma série de dicas de rpg  em posts pequenos mas diretos no assunto. Espero que gostem!

A afobação é o pior inimigo de um mestre de RPG. Muitas vezes eu fico ansioso em uma sessão de jogo, e deixo de prestar atenção no que está acontecendo na sessão, deixo de ver a interatividade entre os personagens dos jogadores e as narrativas que estão sendo criadas na mesa. Qual é razão dessa ansiedade? A pressão de mestrar de maneira eficaz e a idéia de que o mestre é o único responsável pela diversão da mesa.

Refletindo sobre isso e sobre as sessões de rpg que realmente deram muito certo, cheguei a conclusão que a responsabilidade da diversão na mesa de jogo é de todos os jogadores, não só do mestre do jogo. Dessa forma, como mestres, o nosso papel é de fazer o melhor possível, mas sem essa carga de que somos os únicos responsáveis pela diversão de todo mundo. Quando os jogadores percebem que eles também tem grande parte de responsabilidade para deixar o jogo divertido, o grupo amadurece e as sessões fluem de maneira mais natural e legal.

Outra questão que gera a afobação do mestre na mesa do jogo é o desejo que fazer com que todos os eventos planejados (combates, situações dramáticas, etc.) aconteçam de qualquer forma. Isso pode fazer com que o mestre atropele as decisões dos jogadores, desprotagonizando seus personagens. Essa é a parte mais difícil de ser um mestre de RPG, conduzir a criação coletiva da narrativa sem desprotagonizar os personagens dos jogadores, ou seja, sem tomar as decisões pelos personagens dos jogadores. O segredo é limitar as opções sem cortar as sugestões e a criatividade que os jogadores terão durante o jogo.

O mestre é o criador de situações enquanto os jogadores são os solucionadores de situações. Se o mestre cria e soluciona uma situação de jogo, ele está desprotagonizando os personagens dos jogadores.

Nesse ponto vem a minha última e principal dica: tenha muita calma, e respire fundo ao mestrar um jogo de RPG. Descreva as situações, controle o ritmo do jogo mas dê espaço para os jogadores representarem e criarem em cima do que você está colocando. O equilíbrio entre a contribuição do mestre e a contribuição dos jogadores para a narrativa coletiva é algo que leva tempo para pegar o jeito, mas é muito válido ter em mente que todos (mestres e jogadores) precisam participar e se divertir com o jogo. Não precisa afobar, prepare a sua sessão e abra espaço no jogo para que os jogadores também criem e participem! :D

 

Anúncios