Rastro de Cthulhu:”Horror em Kingsbury” (Nitro Version) Reporte de Sessão+Comentários+Fotos

Rastro de Cthulhu é um RPG de horror criado por Kenneth Hite em cima das regras do sistema Gunshoe, de Robin D. Laws. Você pode adquirir o seu exemplar na Retropunk Games. O jogo segue a mesma linha do lendário Call of Chtulhu, mas conta com um sistema específico para aventuras investigativas, as aventuras se passam principalmente na década de 30 (ao invés da década de 20 do Call of Chtulhu), além de existirem regras em Rastro de Cthulhu para aventuras de estilo Pulp (ação estilo “indiana jones”).

Para o nosso primeiro jogo de Rastro de Cthulhu eu decidi usar a aventura “Horror em Kingsbury” que vem no livro básico. Normalmente, quando eu vou jogar um RPG novo, que eu desconheço as regras, eu gosto de fazer uma sessão bem “hardcore”, ou seja, seguindo a risca as regras e, sempre que possível, usando uma aventura pronta. Faço isso para pegar uma idéia de como o game designer criou o jogo, para ver que tipo de experiência de jogo as regras a risca proporcionam. Nas sessões seguintes eu já começo a fazer umas alterações aqui e ali, para adaptar o jogo ao meu estilo de mestrar e ao estilo do meu grupo de jogar. Talvez por jogarmos por tanto tempo juntos, isso seja mais fácil para o nosso grupo.

Rastro de Cthulhu

Compre Rastro de Cthulhu RPG aqui!

IMPRESSÕES DO JOGO

O meu grupo de RPG ADORA Call of Chtulhu. Jogamos várias vezes, seja com as regras originais e com as regras do Storytelling (jogamos uma vez com o d20,mas não rolou o “clima”, o pessoal revertia para o estilo D&D d20 de jogo,na época a gente estava jogando 3.X sem parar). Mas o uso das regras do Rastro de Cthulhu manteve o clima de Cthulhu, agregando uma espécie de “mini game”: como cada investigador tem um número limitado de pontos para gastar em uma investigação, o desafio está em saber quando gastar e quando economizar os pontos, achei bem legal.

O sistema continua bem mortífero, apesar de não tão mortífero quanto no CoC (Call of Cthulhu) original, e o sistema de Estabilidade/Sanidade deu um toque diferente e interessante no lance de perder sanidade, clássico do CoC.

A única coisa que na primeira sessão eu não gostei muito foi o lance de gastar pontos ANTES de rolar os dados. Em Rastro de Cthulhu, os testes das habilidade gerais (testes físicos, fuga, tratamento de ferimentos, etc.) são feitos rolando-se um d6 contra uma dificuldade (normalmente 4), se você tirar um valor equivalente ou maior que a dificuldade, o personagem consegiu realizar a tarefa. Você pode gastar pontos da habilidade para aumentar o valor total do teste, por exemplo, você tem Armas de Fogo 6 e quer acertar um alvo. O mestre diz que a dificuldade é 7, assim, você pode gastar 3 pontos, por exemplo, da sua habilidade geral Armas de Fogo, rola o d6 depois e soma. O problema é que gastando antes, você pode desperdiçar pontos (no caso das Habilidades Gerais, eles regeneram depois de 24 horas), por exemplo gastando 3 pontos e em seguida tirando “6” no dado, você desperdiçou 2 pontos. Isso gerou frustração no meu grupo, e assim, resolvi alterar.

REGRA CASEIRA PINGUÇA DO TIO NITRO PARA TESTES EM RASTRO DE CTHULHU

A minha regra é simples, o jogador pode gastar pontos DEPOIS de rolar o 1d6, tendo mais controle sobre a narrativa. É lógico que se ele não tiver pontos para gastar depois, babau vééééi!

A outra coisa que não gostei muito foi do combate. Assim fiz a segunda regra caseira para administrar combates em Rastro de Cthulhu:

SEGUNDA REGRA CASEIRA PINGUÇA DO TIO NITRO PARA COMBATES COM CTHULHU

0) Caso seja necessário, rola-se uma rodada de surpresa, todos rolam 1d6, se der 4 ou mais, o personagem não está surpreso. Pode-se gastar pontos de atletismo ou briga nessa rodada. Quem ficar surpreso não age na primeira rodada e fica no final da inciativa (rolando1d6 para ver quem fica bem no final mesmo).

1) Rola-se iniciativa, todo mundo rola 1d6 e pode colocar pontos de Atletismo, Briga, Fuga, ou o que quer que seja a habilidade envolvida no momento (Armas de Fogo por exemplo, no caso de um duelo estilo bang bang).

2) Em seguida o combate procede normalmente, seguindo as regras do livro,mas gastando os pontos DEPOIS de rolar o d6.

Só usamos essas regras caseiras. As regras para investigações são sensacionais e ajudam muito ao mestre a narrar a aventura de maneira mais segura.

REPORTE DA PRIMEIRA E SEGUNDA SESSÃO DE “HORROR EM KINGSBURY”

Nesse ponto eu devo avisar a quem quiser jogar a aventura para parar de ler imediatamente! A nossa aventura está bem diferente da original,mas o reporte irá passar alguns dos segredos da aventura. Assim, vou começar a narrar depois da imagem imensa de um monstro primo do Cthulhu! Estejam avisados (SPOILER ALERT!). Fiz o reporte de DUAS sessões de seis horas cada, mas mesmo assim deixei muita coisa de fora.

VERSÃO EM PDF DO REPORTE

Como o Reporte ficou imenso, fiz uma versão em PDF para quem quiser ler offline:

http://www.4shared.com/document/61aVBEdF/horror_em_kingsbury_-_reporte_.html

Aventura “Horror em Kingsbury: Nitro Pinga Version!”

A aventura segue uma série de assassinados que ocorreram nos anos 30 na cidade de Cleveland, chamados de o “crime dos torsos”. Os fatos históricos podem ser lidos nesse post do fodásico blog brasileiro de Cthulhu Mundo Tentacular ( http://goo.gl/dMKga ).

Basicamente foi uma série de assassinatos seriais, ou melhor, uma série de corpos mutilados que apareceram em Cléveland nos anos 30, e cuja investigação envolveu até mesmo o famoso Eliot Ness, o chefe de polícia que prendeu Al Capone (como pode ser visto no filme “Os Intocáveis”, com Kevin Costner). Como é Rastro de Cthulhu, a verdadeira origem dos assassinatos está ligada aos Mythos (os monstruosos deuses alienígenas de Lovecraft que tão cagando e andando para a humanidade).

Nesse reporte de sessão colocarei apenas o que os personagens sabem, pois a aventura está em andamento!

PREPARANDO OS INVESTIGADORES
Um dos segredos de um jogo de horror é criar personagens bem legais, com motivações. Assim nós criamos os personagens coletivamente, e com cada um deles já com ganchos diretos para a aventura. Como inicialmente na aventura, o Xerife da cidade, Chefe O’Donnel iria convocar os investigadores para auxiliarem na investigação do caso do crime dos “torsos”,já fui ajudando os jogadores a amarrarem bem seus personagens com o caso. O Prof. Jenkins é o personagem do Mário, que só apareceu na segunda sessão, por isso a ligação dele com o caso foi por parte de uma das pistas (o que é um jeito bem legal de colocar personagens em aventuras no estilo de Call of Cthulhu).

Personagens bem amarrados com a trama de uma aventura são mais fáceis de interpretar e aumenta a imersão e o interesse dos jogadores na história. Esse é um truque que uso sem parar, facilita muito rolar o jogo!

Antes de começar a aventura, os jogadores criaram os seguintes personagens:

Mafioso Joe “Four Bullets” Pesci (Leo Rodrigues – Troscoman)

Joe

Mafioso membro da Máfia da Rua Mayfield, Joe recebeu uma tarefa de seus chefes, os Irmãos Milano e Pollizi, para ajudar ao Chefe O’Donnel na investigação do crime dos Torsos. A  Máfia da Rua Mayfield tem diversos interesses no crime. Primeiro, eles não querem que Eliot Ness, que acabara de chegar na cidade, consiga desvendar o crime pois isso faria com que o Chefe O’Donnel, que está no bolso da Máfia da Mayfair, perdesse o emprego. Segundo, alguns bandidos de meia tigela e algumas prostitutas da máfia desapareceram nos últimos dias, e os Irmãos acham que quem for o responsável pelo crime dos torsos deve estar por trás desse desaparecimento. E o terceiro motivo é a suspeita que uma nova gangue está operando secretamente na cidade, principalmente nas docas e sumindo com os vários imigrantes que chegam à Cleveland, por causa da recessão.

Joe é um homem durão, de trinta e poucos, simples, que valoriza a honra dos mafiosos e busca subir na organização. Tem fisionimia forte, e um crânio que mais parece um tijolo. Suas  Ele gosta de pescar no lago Eire para relaxar, cuida muito bem de sua avozinha italiana no asilo, entre uma missão de assasinato e outra que a máfia passa para ele. Ele adora o macarrão da Mama Genara, um restaurante italiano caseiro da rua Mayfair.

Escritora Angela D’Amour (Tuz – Esposanerd)

Ângela D'Amour
Ângela D'Amour

Uma escritora de romances de detetives baratos, que possui uma legião de fãs mas que caiu em desgraça depois que foi abandonada pelo seu marido, um influente político na cidade de Cleveland. Seus romances são famosos entre os fãs da literatura pulp, mas eles não lhe dão dinheiro suficiente para pagar as dívidas que seu marido deixou depois que foi implicado em um caso de corrupção e desapareceu.

Enfrentando a dura vida de mulher sem marido nos anos 30, ela pediu ajuda de sua amiga, a Detetive Penny Wright (que fornecia inspiração para suas histórias). Penny concordou em dividir seu escritório de detetive com Angela. A escritora tem uma pequena mesa dentro do escritório e ajuda sua amiga Penny a solucionar os poucos casos  que chegam ao escritório (pois a sociedade machista da época não via com bons olhos detetives femininas ou mulheres independentes e sem marido.

Ângela e Penny são convocadas pelo Cefe O´Donnel para ajudar no caso, principalmente pela grande recompensa envolvida e pela possibilidade de reconhecimento público de seu trabalho. Além do marketing que um caso tão popular e conhecido irá fornecer ao pequeno escritório das duas.

Detetive Penny Wright (Paula)

Penny
Penny

Uma detetive durona que desafiou todos os costumes ao escolher a carreira de detetive. Ela trabalha quase que exclusivamente com casos de mulheres que sofrem abusos de maridos, crimes contra mulheres e para tentar inocentar mulheres injustamente acusadas pela justiça. Seu escritório fica na rua Frankfort, próximo a rua Mayfair, e ela conhece muitos dos meliantes do lugar. Sua família perdeu todo o dinheiro durante a recessão. Ela é amiga de Ânglea D’Amour, que conheceu na época que Ãngela estava no auge de sua carreira, escrevendo romances do Detetive Robert Cheese (um detetive que sempre anda de terno branco, cabelo com brilhantina e toma martinis).

A oportunidade de trabalhar para o Chefe O’Donnel, mesmo sabendo que ele é um corrupto sem-vergonha, era tudo que Penny queria. Investigando e resolvendo o crime dos Torsos, ela pode provar para a sociedade de Cleveland dos anos 30 que mulheres podem ser melhores que os homens em profissões masculinas.

Farmacêutico Stuart “Candyman” Wallace

Stuart
Stuart

Com uma farmácia da Rua Mayfair, Stuart é um senhor de meia idade, casado com Meggy Wallace e com uma filha adolescente de 17 anos, Rose Wallace. Stuart possui dois tipos de negócios: o lícito é a venda de medicamentos, e o ilícito é a venda de drogas para a bandidagem da Rua Mayfair. Além disso, ele também dá aulas esporádicas na Universidade Western Reserve, onde possui muitos contatos. Esse contato com meliantes atraiu sua filha Rose, que há duas semanas antes da aventura, desapareceu fugindo com um namorado/cafetão chamado Frank Donezal. Com as notícias dos crimes dos torsos, Stuart teme que sua filha seja uma das vítimas. Por causa disso, ele está indo todos os dias para a delegacia do Chefe O´Donnel para saber do paradeiro de sua filha.

Professor de Mitologia Clássica  Dr. Jenkins Leeroy

Dr. Jenkins Leeroy
Dr. Jenkins Leeroy
Dr. Jenkins é um especialista em mitologia clássica, com vários livros sobre mitologia grega. Famoso, ele é um dos mais renomados professores da Universidade Western Reserve, onde leciona na cadeira de Estudos Gregos e Mitologia Grega. Amigo do Dr. Stuart, Dr. Jenkins tem baixa estatura e grandes bigodes, como se fosse um anão mitológico. Excêntrico, gosta muito de participar do Gentlemen’s Club do Cleveland Country Club, onde se encontra com a eltie da cidade para um jogo de bocha. Ele conhece bem o Prof. Stuart, e deseja que ele largue sua farmácia e volte para a academia.

CENA 01: O DESAPARECIMENTO DE ROSE WALLACE
Stuart foi até o escritório da Detetive Penny e Ãngela D´Amour para contratá-las. O farmacêutico estava desesperado e queria que elas o ajudassem a encontrar sua filha desaparecida, Rose Wallace, que ele teme ser uma das vítimas dos crimes dos torsos. Ele passa uma foto da sua filha para os investigadores.

Depois de várias perguntas e negociação, regada muito Jack Daniels, Penny e Ãngela concordaram em investigar esse tal de Frank Dolezal. Após Stuart sair do escritório, Penny recebeu um telefonema do Chefe O´Donnel, chamando para uma reunião urgente na delegacia.

Comentários:
Deixei esse começo bem solto, para os jogadores sentirem os personagens e interagirem entre-se. A discusão entre Penny, Ãngela com Stuart foi bem legal!

CENA 02: A MÁFIA DA RUA MAYFAIR
Joe é convocado pelos irmãos Milano e Pollizi (em uma cena bem “poderoso chefão”). Os irmãos informaram a Joe que vários membros da máfia e algumas prostitutas desapareceram na região dos Flats (o favelão a céu aberto de Cleveland, causado pela Grande Depressão), e que era do interesse deles que o criminoso do crime dos torsos seja capturado. Eles também passam a informação, que um dos criminosos desaparecidos, foi visto pela última vez na Taverna do Lester, na região dos Flats.

Eles também suspeitam da existência de uma nova gangue operando no submundo de Cleveland, provavelmente composta de imigrantes, e que essa gangue pode estar ligada aos crimes. Milano explicou a Joe que fez um acordo com o Chefe O´Donnel para que ele participasse da força-tarefa composta por detetives particulares que o chefe de polícia estava organizando. Era do interesse da máfia que eles ajudem o Chefe O´Donnel para que o maldito do Eliot Ness (que também estava investigando o caso) seja desacreditado.

Joe conversa com seus chefes e consegue a garantia de suporte com homens e armas, caso haja necessidade. Em seguida, o mafioso partiu para a Delegacia.

Comentários:
Cena totalmente inspirada em Poderoso Chefão, onde usei uma voz bem rouca para fazer os mafiosos que interagem com Joe.

CENA 03: DELEGACIA DO CHEFE O’DONNEL.
O Cefe O´Donnel, muito nervoso, explicou para Joe, Angela, Penny e outros detetives presentes o caso dos torsos, passando para eles um fichário com as informações que não foram divulgadas pela imprensa. Ele estava desesperado em resolver o caso antes de Eliot Ness, pois segundo o chefe “se Eliot Ness resolver esse caso, vai ser pior para todo mundo!”. Depois de responder várias perguntas, ele levou os investigadores para ver os corpos encontrados naquela manhã.

Ao mesmo tempo, Stuart, o farmacêutico, foi até a delegacia depois que um dos seus clientes de drogas reportou a chegada de uma nova vítima, uma mulher jovem, na delegacia de polícia. Ele ficou tentando invadir a delegacia,mas foi barrado por dois policiais.

Ao verem os corpos, Ângela e Penny reconheceram Rose Wallace. O corpo estava estraçalhado, e a cabeça de Rose totalmente desfigurada. Joe, notando que as duas sabiam mais do que estavam demonstrando, se aproximoy delas e ofereceu sua ajuda. Desconfiadas, elas aceitam em troca da informação de Joe sobre o desaparecimento de várias pessoas na região dos Flats, e sobre a taverna do Lester. As detetives passaram a informação sobre a identidade de Rose.

Stuart conseguiu furar a barreira e entra no morgue, encontrando Penny e Ãngela. Em um momento bem “emotion”, ele descobre o pano do corpo e vê que sua filha Rose está morta. Penny e Ãngela tiraram Stuart rapidamente da delegacia, evitando que fosse preso. Stuart também notou, no cabelo de sua filha, um pó de concreto armado, e reportou, entre lágrimas, para as duas detetives.

Os quatro seguiram para o escritório de Ãngela, com Stuart balbuciando sobre sua filha. Em seguida, Stuart pede para as detetives encontrarem quem fez isso com sua filha, dobrando o pagamento.

Comentários:
Outra cena legal, com o Chefe O’Donnel berrando sem parar, desesperado com a chegada do Eliot Ness. A cena foi bem solta, com supreendentes narrativas dramáticas, com Stuart entrando delegacia adentro atrás de sua filha, o que mostra que jogadores maduros sabem que se seus personagens tem ganchos com a história, eles oferecem mais oportunidades de interpretação.

CENA 04: INVESTIGANDO OS FLATS E A TAVENA DO LESTER
Depois de Stuart retornar para sua casa e comunicar a sua esposa sobre a morte de Rose, Joe, Penny e Ãngela decidiram investigar o paradeiro de Frank Donezal, que também frequentava a Taverna do Lester. Os investigadores partiram para a Taverna do Lester, um bar de strip-tease de baixo nível na região dos flats. Ãngela e Penny se disfarçaram de homens e foram junto com Joe para a Taverna. Stuart fez questão de ir também, enlouquecido pelo desejo de vingança.

Chegando na taverna lester, Joe, Penny e Ãngela entraram deixando Stuart do lado de fora. Lá dentro, os investigadores questionaram várias pessoas sobre Frank Dolezal, quando, de repente, uma das meninas que estavam fazendo strip saiu correndo do palco. Ela saiu da taverna e passou por Stuart, que não sabia de nada, e entrou em um carro saindo em disparada pelas ruas. Penny,Joe e Ãngela chegaram logo depois, arrastaram Stuart para o carro e foram atrás da protituta.

Comentários:
O disfarce das duas foi muito engraçado, e fiquei fazendo aquele suspense para ver se os bandidos da taverna do Lester iriam reconhecê-las como mulheres hahahahaha!

CENA 05: APARTAMENTO DE FRANK DOLEZAL.
A protituta chegou a um prédio barra-pesada na parte sul ao redor dos Flats e subiu correndo, sem saber que tinha sido seguida. O grupo foi atrás, deixando Stuart no carro. Stuart, que estava deprimido, tomou uma de suas pílulas de ópio para relaxar.

Joe,Penny e Ãngela arromabaram o apartamento onde a prostituta entrou e a conseguiram capturar. Ela disse que seu nome era Holly, e que não podia falar nada ou o Frank mataria ela. Penny e Ângela tentaram conversar com a prostituta sobre Rose, e apenas conseguiram a informação que a filha de Stuart estava desaparecido há umas duas semanas. Ela disse que o trabalho de prostituição tem ficado muito perigoso na região depois que os mexicanos apareceram.

Porém, antes de investigarem mais sobre o assunto, Frank Dolezal invadiu o apartamento armado com uma pistola e mandando bala para todos os lados. Ele passou desapercebido por Stuart, que estava drogado na porta do prédio. Depois de uma grande pancadaria, Joe consegiu meter uma bala no ombro de Frank, enquanto Holly conseguiu fugir.

Eles deram uma geral no Frank e encontraram um pacote de heroína e três fotos suspeitas. As fotos mostravam um homem desconhecido com o rosto escondido, em relações sexuais com três mulheres, uma delas sendo Rose Wallace, a filha de Stuart! O homem tinha uma tatuagem com um símbolo de seta que terminava em uma curva em espiral.

As fotos também mostravam que as mulheres em um local construído de concreto armado. Além disso, uma das fotos tinha uma estranha pintura por trás. Joe observou a pintura e começou a sentir uma náusea forte, como se a pintura estivesse sugando ele para dentro. Ele quase desmaiou, mas se recuperou momentos depois.

Comentários:
Essa foi a primeira cena de combate usando o sistema de Rastro de Cthulhu,foi rápido mas não combinou muito com o estilo do nosso grupo. Depois desse combate foi que comecei a pensar em uma regra caseira para adaptar ao nosso estilo. A cena também foi muito emocionante, com porrada e correria para todo lado, pois o Frank tentou fugir pulando pela janela etc.

CENA 06: HORROR NO INTERROGATÓRIO
Depois de estancar o sangue de Frank, os investigadores o levaram para o escritório de Penny, enquanto Stuart, compeltamente movido pelo ódio, dizia que deveriam matar o desgraçado. No escritório, Joe torturou Frank e consegiu dele a informação de que as fotos eram de Willie Maneta,um dos cafetões da rua Mayfair e que estava trabalhando para os mexicanos. Ele disse que Willie tinha um cliente muito rico e que levaria Rose para ele.

Porém logo em seguida, Frank começou a urrar de dor, com algo enorme e esférico se agitando em sua barriga. Seu abdomen rasgou em uma explosão de víceras e sangue, mastigado por dentro por uma caveira, cuja testa estava marcada a fogo com uma seta com aponta curvada em espiral, o mesmo símbolo encontrado no desconhecido das fotos. A caveira, animada, estava mordendo e rasgando todo o corpo de Frank, e quase arrancou os dedos de Joe, que tentou tirá-la do criminoso. Ao cair no chão, a caveira ficou imobilizada, ante aos horrorizados investigadores.

Depois de se recuperarem do choque, Joe informou para Ãngela e Penny que daria um jeito de sumir com o corpo, pois a polícia jamais iria aceitar a explicação do que aconteceu. Depois de um grande debate, o grupo concordou com o plano de Joe. Joe ligou para Vinny “Faxineiro”, que pegou o corpo e deu um sumiço nele. Ele também decobriu com seus contatos na máfia, onde que os mexicanos e latinos do Flats eram vistos sempre no bar podreira La Sirena, na parte norte dos Flats, próximo a estação Central do trem de Cleveland. Em seguida, os investigadores se reuniram para discutir o que haviam descoberto, para depois se retirarem para suas casas.

Comentários:
A primeira sessão terminou nessa cena. Depois de ir colocando camadas e masi camadas de suspense, depois de fazer o pessoal sentir o que é viver em Cleveland nos anos 30, entra um elemento sobrenatural. Esta também foi a cena dos testes de estabilidade, que começaram brabo com as fotos (se bem que o Stuart fez vários quando viu sua filha morta).

CENA 07: INVESTIGAÇÃO NA WESTERN UNIVERSITY
No dia seguinte, os investigadores foram para a Western University à pedido de Stuart, que queria usar o laboratório da universidade para investigar a caveira que eles tinham nas mãos. Na universidade, enquanto Stuart e Joe foram para o laboratório, Ãngela e Penny foram para a biblioteca pesquisar sobre a estranha pintura que tinham encontrado, uma pintura de um obscuro pintor italiano Glauco Aioli.

Depois de conversar com uma antipática e velha bibliotecária, elas começaram a procurar o livro sobre o artista italiano. Porém, um senhor atarracado, careca e de longos bigodes, escutou o que disseram e ofereceu ajuda às duas. Desconfiadas, elas apenas concordaram depois que o senhor se apresentou, era Dr. Jenkins Leeroy, uma das maiores autoridades em mitologia grega. Ele se interessou pelas duas pelo fato de que Glauco era um artista especializado em desenhar passagens da mitologia grega. Dr. Jenkins às levou para o seu escritório, onde, depois de ver as fotos, indentificou o quadro como sendo “O Redemoinho”, uma pintura sobre o enfrentamento de Ulisses com o monstro Caríbdis. Ele diz que a pintura está desaparecida e que vale milhões de dólares, se oferecendo para ajudar os investigadores a encontrar a pintura. Dr. Jenkins também revela ser um fã dos escritos de Ãngela D ‘Amour

Ele se recorda de que um dos seus antigos alunos Orem Van Shaen, da família Shaen, citou a pintura em sua tese sobre Scylla e Caríbdis, ele estava muito obcecado sobre o assunto. Respondendo às perguntas de Ãngela e Penny, Dr. Jenkins revelou que os Van Shaen são muito ricos, donos da maior fábrica de cimento e concreto armado de Cleveland. Vendo o interesse das duas, Dr. Jenkins se ofereceu a ir até o Gentlemen’s Club, o clube de elite da cidade, para conseguir mais informações sobre a Família Van Shaen.

Enquanto isso no laboratório, Stuart descobriu que a caveira pertencia à uma das pessoas desaparecidas e que estavam no arquivo dado pelo Chefe O´Donnel. Era uma mulher jovem, e com grande chances de ser uma das mulheres das fotos de Willie Maneta (através da comparação dos dados odontológicos, e formato do crânio. Ele também pode ver que a caveira foi tirada de um cadáver recente, de cerca de duas semanas.

Os investigadores se reuniram, e enquanto Stuart e Dr. Jenkins decidiram ir até o Gentlement’s Club na hora do happy hour; Joe, Penny e Ângela iriam até o bar dos latinos, o Lar Sirena, para ver se conseguiam mais informações sobre os mexicanos.

Comentários:
Essa foi a nossa segunda sessão de Rastro de Cthulhu. Nessa sessão comecei adotando as nossa regras caseiras (mestre escolavéia é assim mesmo, muda o que não combina com o grupo ou com seu estilo de mestrar hahahaha), nos testes investigativos e no combate. Isso deixou o jogo mais fluido e o combate mais no esquema que a gente tá acostumado.

Nessa sessão o Mário participou,assim, depois que ele criou o Dr. Jenkins, já fiz a primeira cena da sessão como sendo a introdução do personagem dele. O legal foi que o personagem do Mário ficou bem integrado com a aventura, e a entrada não foi um esquema “caiu de paraquedas estilo filme “Predadores”, onde todo mundo cai de paraquedas na história hahahahaha!

A cena na universidade teve vários outros detalhes, como farras dos universitários (passou um correndo pelado pelo grupo hahahaha), e a bilbiotecária que ODEIA o Prof. Jenkins. Deixando o pessoal mais livre para fazer o roleplay aumenta a imersão e deixa a narrativa fluir mais naturalmente.

CENA 08: O GENTLEMEN’S CLUB
No Gentlemen’s Club, Stuart e Dr. Jenkins se encontraram com Lord Williamson II e Sir Lawrence. Lord Williamson estava ainda chateado com Dr. Jenkins por ter perdido várias partidas de bocha, e concordou em falar sobre a Família Van Shaen, se Dr. Jenkins considerasse uma revanche. Dr. Jenkins aceitou, e regado a champanhe francesa, os dois disputaram uma partida de bocha.

Lord Williamson venceu e ficou provocando Dr. Jenkins, mas finalmente contou que a fortuna dos Van Shaen estava agora nas mãos do filho mais velho da família, Orem Van Shaen, depois que seus pais morreram em um acidente de avião. Ele também contou que antes do acidente Oren estava brigado com seus pais, por ter gastando uma fortuna comprando pinturas na Itália. Ao ser perguntado sobre Oren, ele contou que o jovem Van Shaen tinha muitos problemas, e que estragou uma brilhante carreira acadêmica com várias idas ao hospicio por problemas de depressão e mania.

Comentário:
Muito engraçada essa cena. Fiz um Lorde bem metido a besta e ele ficou celebrando a vitória na bocha (teste disputado de Atletismo, podendo gastar pontos depois).

CENA 09: LA MALDICIÓN EN EL FLATS!
Enuanto Stuart e Jenkins estavam no Gentlemen’s Club, Ãngela e Penny estavam investigando o pó de concreto armado, e Joe estava nos Flats investigando a misteriosa gangue dos mexicanos. As duas amigas descobriram que existiam apenas duas construções feitas de concreto armado (uma tecnologia nova para 1930, pelo menos em Cleveland), o Estádio Abraham Lincon e a Estação Central do trem de Cleveland. Outro fato interessante que elas desvendaram foi que essas construções foram feitas sob a supervisão da Companhia de Cimento NorthStar. Investigando a NorthStar, elas verificaram que a empresa pertencia à família Van Shaen. Em seguida elas partiram para se encontrar com Joe nos Flats.

Nos Flats Joe, conversando com alguns mendigos e torturando alguns informantes da máfia, ele descobriu que os mexicanos chegaram há alguns meses atrás. Eles se autodenominam os “Caçadores de Cabeças”, e aterrorizam a população latina e estrangeira das docas e dos flats. Pouco tempo depois, Joe percebeu que estava sendo seguido por um indivíduo de origem mexicana e aparência perigosa. O mafioso conseguiu emboscar o mexicano, e vê parte da tatuagem de seta no seu braço, mas o bandido, encostou em sua testa e disse “Que La Madre Pege Su Alma! Es un Escogido!”.

Nesse momento Joe sentiu uma náusea tremenda, como se estivesse dentro de um redemoinho, a náusea foi aumentando até que tudo ficou preto. Quando Joe acordou, ele se viu em cima de uma planície, perto do Lago Eire (o lago de Cleveland). O local estava quente e um redemoinho surgiu no meio do lago. De dentro dele, tentáculos negros começaram a aparecer.

Desesperado, Joe fugiu do local para a floresta por perto. Minutos depois, um veloricaptor apareceu e começou a perseguir o mafioso. Por pouco ele escapou da morte, se escondendo em umas montanhas rochosas por perto. Mas seu descanso durou pouco, criaturas humanóides reptilianas começaram a surgir das cavernas das montanhas e foram em direção a ele. Joe consegiu atirar em uma delas e voltou a fugir. No momento que em uma das criaturas ia capturá-lo, ele sentiu a náusea novamente e, ao acordar, estava no meio de uma rua de Cleveland, distante de onde ele tinha sido amaldiçoado pelo estranho Mexicano.

Abalado, ele entrou em contato com Penny e Ãngela e soube que elas tinham ido até o bar La Sirena. Prevendo que elas estariam em perigo ele segiu para o bar, chamando alguns dos seus capangas na máfia.

Comentário:
Essa foi a primeira grande cena sobrenatural da história e pegou todo mundo de surpresa! Narrei para dar bem o clima de suspense, fazendo o velociráptor aparecer aos poucos e mostrar a bizarrice da situação.

Cena 10: EMBOSCADA NO CLUBE LA SIRENA E A FÁBRICA DE CIMENTO
Penny e Ãngela entraram disfarçadas no bar podreira dos imigrantes latinos de Cleveland. Lá, sob o olhar suspeito dos clientes do bar, elas encontraram uma foto na parede da gangue dos mexicanos, os “Caçadores de Cabeça”, com um estranho homem de aparência causasiana por trás. Elas pegaram a foto e decidiram sair do bar.

Porém, ao sair, as duas foram emboscadas pelos membros das gangues dos mexicanos, e teriam morrido se Joe e seus capangas não intervissem. Joe havia previsto que isso iria acontecer e preparou uma emboscada para os mexicanos. Um dos mexicanos consegiu fugir.

Comentário:
Outra cena divertida e com muita ação. O disfarce de mexicanos foi legal demais também!

CENA 11: MAIS UMA IDA AO PASSADO
Depois de contatar com Dr. Jenkins e Stuart; Ãngela foi para o escritório no seu carro e Penny e Joe retornaram para o escritório em outro carro. Porém, Joe começou a ter náuseas novamente e Penny, que estava atrás, encostou nele para ver se ele estava bem. Os dois foram levados pela náusea.

Os dois se viram, ainda dentro do carro em movimento, na parte exterior de uma tribo de índios norte-americanos. Como o carro estava em alta velocidade, eles trombaram com uma das ocas dos índios, derrubando-a. Era noite e os índios estavam em meio a um ritual de sacrifício, com um ídolo em forma de redemoinho gigantesco no centro da tribo, e várias vítimas (que pareciam ser colonos ingleses) empaladas e gemendo em todas as partes do ídolo (que era feito de galhos secos retorcidos).

Os índios, com pinturas de setas em suas testas, viram o carro de Joe, e começaram a correr atrás dele, atirando suas machadinhas. Os índios tinham colares orelhas arrancadas em seus pescoços.

Joe deu partida no carro e saiu em disparada, enquanto Penny tentava acertar os índios com sua arma. Várias machadinhas atingem o carro. Momentos depois, quando eles estavam prestes a bater de frente com uma árvore enorme, a náusea retorna e eles  foram transportados novamente para o presente; aparecendo no meio de uma rua, à vários quateirões de onde eles tinham desaparecido.

Confusos e transtornados, os dois foram para o escritório, culpando algum tipo de veneno que os mexicanos devem ter usado neles.

Comentário:
Mais uma cena de elementos bizarros para deixar os jogadores bem cabreiros! Depois da aventura acabar eu revelo o que realmente está acontecendo!

CENA 12: ESCRITÓRIO CERCADO E NA CASA DO STUART
Os investigadores foram para o escritório mas o encontraram fechado pela polícia. Eles descobrem que Eliot Ness havia estado no prédio e tinha vasculhado tudo dentro do escritório. Com medo de que Eliot tenha descoberto sobre a morte de Frank Dolezal, eles saíram rapidamente e foram até a casa do Stuart. A esposa do farmacêutico não gostou da idéia, apesar de estar meio louca pela perda da filha.

Lá os investigadores discutiram sobre todas as pistas que tinham até agora, e concluíram que Joe e Penny devem estar sofrendo com algum veneno ou droga dos mexicanos ou estão alamdiçoados. Depois de analisar tudo, Dr. Jenkins e Stuart decidiram ir no dia seguinte até a Fábrica de Cimento Northstar, para ver se encontram com Orem Van Shaen. Joe, Penny e Ãngela iriam investigar a Estação Central, depois que Dr. Jenkins e Stuart retornassem da fábrica.

Porém, de madrugada, tanto Penny quanto Joe tiveram novamente a náusea e foram enviados para o passado. Eles acordaram no beco enlameado de uma cidade do velho oeste, que parece ser Cleveland. Eles estavam no meio de um ritual, onde cerca de seis homens com capas e capuzes pretos terminando de cortar os braços e as pernas de  uma mulher dentro de um círculo cheio de símbolos místicos, com cortes semelhantes aos dos crimes dos torsos. Penny levanta e grita para as estranhas figuras, que a fitam e atacam com suas adagas. Joe consegue bater em um deles, e quando o capuz cai, ele vê que se trata de uma mistura de humano e reptiliano, semelhante aos que ele vira no seu primeiro delírio.

Os dois conseguem pegar uma carruagem e fugir, apesar dos ataques e dos saltos sobrenaturais dos reptilianos. Joe consegiu matar um deles com um tiro dentro da boca, pois tiros nos torsos não faziam muito efeito. Pouco tempo depois, a nausea retornou e eles voltaram para o presente, no meio da rua, à vários quateirões da casa do Stuart. Eles retornaram, e depois de acordar os demais, relataram sua experiência.

Reptiliano
Reptiliano

Comentários:
Essa cena deu muito medo no pessoal, e dei aquele berrão quando os reptilianos começaram a atacar!

CENA 13: A FÁBRICA DE CIMENTO E CONCRETO ARMADO NORTHSTAR
No dia seguinte, os investigadores ainda estavam se recuperando da agitada noite anterior. Ãngela relatou que viu tanto Penny quanto Joe desaparecer no ar. Tensos, Stuart e Dr. Jenkins seguiram  para a Fábrica Northstar enquanto os demais vão investigar a Estação Central.

Stuart e Jenkins chegaram na porta da fábrica mas foram barrados pelos vigias fortemente armados e enormes. Eles dizem que vieram ver Van Shaen, e o vigia perguntou “es sobre La Madre? Tienen pedidos para La Madre?”

Jenkins disse que sim, mesmo sobre protestos mudos de Stuart e o vigia os levou para dentro da fábrica. Eles observaram que os trabalhadores da fábrica são todos imigrantes, e muitos deles não parecem nem mesmo pertencer a civilização. Jenkins reconhece um grego com tatuagens antigas com um dos escravos-trabalhadores da fábrica.

Eles foram escoltados até a sala de Salazar, El Chefe, um mexicano enorme, de cabelos longos e grandes bigodes (o Machete! :). Horrorizados, os dois notaram que os braços de Salazar, coberto por tauagens, parecia ter uma espécie de escamas por baixo da pele, escamas que iam aparecendo cada vez mais à medida que ele ia ficando nervoso.

Salazar
Salazar

Salazar perguntou sobre qual era o pedido que eles tinham para “La Madre” e se tinham trazido a oferenda. Os dois perguntaram “que oferenda é essa’, e Salazar resondeu “una cabeça, é claro!”.  Pensando rápido, Stuart disse que a oferenda estava no carro, e que eles tinham que voltar para pegar. Salazar deixou apenas Stuart ir e ficou com Dr. Jenkins como refém (fazendo aquele terror).

Stuart foi até o carro, e ao invés de pegar a cabeça (o crânio que tinha saído da barriga de Frank Salazal), ele pegou sua .38 e deu um tiro na cabeça do vigia que o escoltou. Dentro do escritório de Salazar, após escutar o tiro, Dr, Jenkins pulou pela janela enquanto Salazar berrava ordens para que seus capangas matassem o doutor.

Depois de um tiroteio horrendo, Dr. Jenkins consegiu entrar no carro e os dois bateram em disparada. Porém Salazar começou a correr atrás do carro com uma velocidade sobrenatural, e adotando uma aparência reptiliana. Com dois pulos gigantescos, Salazar caiu em cima do carro e começou a tentar agarrar Dr. Jenkins, sentado no banco esquerdo da frente.

Dr. Jenkins, gritando desperado, agarrou o braço de Salazar, e Stuart jogou o carro para passar rente à um poste. Salazar bateu com violência no poste e seu braço repitiliano foi arrancado (e mesmo assim continuava apertando a garganta do Dr. Jenkins). Os investigadore se livram do braço e partem em disparada para longe do lugar.

Comentários:
A sessão terminou nessa cena de ação e desespero e o pessoal já tá na pilha da próxima sessão!

Fotos da Sessão

Mais fotos:

http://newtonrocha.multiply.com/photos/album/327/327

____________________________

Contato

____________________________

OUTROS ARTIGOS:


Anúncios

13 comentários

  1. Oioi, tenho muita vontade de mestrar um jogo de Cthulhu, mas tô em dúvida entre o Chamado de Cthulhu (sendo traduzido) e o Rastro de Cthulhu. Qual exatamente é a diferença entre eles? Obrigado, abrçs

  2. Neste sábado narrarei o Rastro pra amigos e usarei justamente esta aventura introdutória. Gostei muito do seu reporte, ajuda demais a imaginar mais opções pra a aventura que já é muito boa. E assim como muitos gostei da regra caseira de gastar pontos depois da rolagem, ao menos para uma aventura pulp, já numa purista gastar antes aumenta mais a tensão ;)

  3. eita que esse post me deu ainda mais vontade de comprar o meu rastro de cthulhu eheeheh meus parabens tio nitro ! e gente se puder passem lá no blog falando de rpg!

  4. Fala Nitro, beleza véio? Muito fodástico o seru report da aventura. Adorei, fiquei com vontade de jogar Cuthulu. Um abração!

  5. Bem modificada, mas muito foda! Já ia perguntar do grego, rsrsrsrs, achei ele muito foda no livro.
    Muita ação, só a parte das regras que eu gostei das modificações que tu fez, não achei que podia dar o problema dos gastos “perdidos” mas pelo visto tu encarnou o estilo pup, tanto pela narrativa, quando por revelar a dificuldade das jogadas.

    Muito doido! Aguardando a conclusão!

  6. Parabens mais uma vez. Esse reportes facilitam a vida de pessoas que sempre quiseram usar um jogo mas ficam meio que perdidas.

    Eu por exemplo, sempre quis ler um reporte de Mago: Ascensão e o Despertar, mas nunca tive a oportunidade.

    DOIDIMAIS

  7. Caraca, Nitro! Esse foi um puta-mega-bacon post, hahahahahahaha… Totalmente pingacore, canacore e mégore!

    Agora falando sério, curti as pequenas alterações nas regras. Já que o sistema não deixa as coisas ao “Deus dará” na hora das pistas, porque fazer isso com os gastos de pontos e acabar impedindo o bom andamento da narrativa? É realmente muito melhor conceder liberdade dos jogadores poderem gastar seus suados pontos quando quiserem, pois isso fará com que seja deles a culpa pelo fracasso quando os pontos chegarem a zero… Essa constante tensão, inclusive, já ajuda a criar um clima de suspense e apreensão na mesa, o que é fundamental em RPGs de horror, mas que muitas vezes é difícil de se conseguir.

    Com certeza usarei as regras caseiras quando for narrar para meus companheiros do Vila do RPG.

  8. Valeu pelo comentário! Coloquei um link lá nesse baconpost para baixar o pdf com o texto,já q ficou grande pra caray! :)

  9. Isso não é um reporte e sim um MEGA REPORTE, sempre quis fazer isos no meu blog, mais nunca consegui, de qualquer forma saiba que seu blog e o meu favorito e espero mais post de Rastro de Cthulhu, quem sabe até alguma aventura, não rola?

    Abraço Tio Nitro.

    “E vamo jogar RPG, pq RPG é DOIDIMAISSSSSSSSSSS!”

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s